A 4ª revolução industrial já é realidade na logística hospitalar

A cada dia vemos uma nova revolução industrial avançando em diversos segmentos no Brasil, com a automação somando no desenvolvimento de produtos e serviços. Na área da saúde não tem sido diferente, e especialmente nas atividades de logística hospitalar, tem ganhado destaque em meio a processos que imprimem diversas peculiaridades. Isso se explica, particularmente, pelo potencial da logística para a gestão dos custos e, consequentemente, de resultados das instituições de saúde.

Segundo o presidente da UniHealth Logística Hospitalar, Domingos Fonseca, “o Brasil não deve a nenhum player internacional em processos de automação nesta área, sendo inclusive uma referência para alguns países, pela capacidade tecnológica e de soluções de ponta”.

Mas é importante destacar o entendimento de gestores das instituições para o melhor aproveitamento dos recursos gerados a partir de seus processos. Desta forma, todos conseguem trabalhar em cima de dimensões reais, dimensionados para cada especificidade e capacidade operacional e financeira do sistema, da instituição de saúde, integração de forma realmente eficiente a tecnologia. “Não adianta o investimento em um arsenal de automação se ele não for devidamente customizado e integrado na estrutura fim, correndo o risco de ele se tornar caro e obsoleto”, relata a executivo.

Neste sentido, a empresa se destaca pelo desenvolvimento de software próprio, o UnilogWF – alinhado com as normas da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) e equipamentos de automação proprietários adaptado a cada um de seus clientes, que vão de pequenas unidades de saúde até hospitais de 1.000 camas.

Dentre alguns dos benefícios do software está a ferramenta de e-procurement com dashboard de planejamento de compras para otimização da gestão de suprimentos e estoque, WMS com controle de recebimento e armazenamento por endereçamento randômico, módulo de produção (MRS) para fracionamento e produção de kits e TMS para distribuição de materiais e medicamentos a partir do centro de distribuição/almoxarifado até o consumo pelo paciente, garantindo total rastreabilidade serializada das movimentações realizadas pelos produtos.

Integrados ao UniLogWF ainda estão soluções de automação como os rotativos verticais, horizontais e lifts verticais, capazes de separar entre 400 e 600 itens por hora; robôs de dispensação de prescrições com capacidade para separar de 300 a 500 prescrições por hora; dispensários automáticos de medicamentos que liberam itens em 2 segundos e eliminam subestoques nas áreas assistenciais, com ainda controle e segurança de acesso; armário de RFID que controla a dispensação e devolução de itens de alto custo por rádio frequência, entre outros.

Ainda seguindo um dos principais conceitos da Saúde 4.0, apoiada na 4ª revolução industrial, a UniHealth desenvolve uma tecnologia beira leito com cruzamento de dados de profissionais, pacientes e medicamentos, permitindo a checagem de todas as informações da prescrição na hora de sua administração, além de confirmar e pedir procedimentos e realizar avaliação do paciente.

“Gerir saúde é gerir produção, economia, segurança e muitos outros fatores que impactam de forma importante na saúde financeira dos organismos de saúde e na saúde de seus clientes, pacientes”, completa sr. Domingos.

 

Por: UniHealth Logística Hospitalar