Integra Saúde propõe soluções para a sustentabilidade das instituições filantrópicas de Minas

A Federassantas recebeu na última quinta-feira (04/04), durante a sexta edição do fórum Integra Saúde, autoridades e responsáveis pela construção das políticas e programas de saúde pública para apresentar soluções para o setor hospitalar filantrópico mineiro.

Durante o evento, a programação trouxe assuntos de grande importância e relevância para o setor, que passa por uma severa crise econômica e financeira. Um dos destaques do encontro foi o painel de apresentação do projeto “Pró-financiamento SUS”, uma iniciativa da Federassantas em parceria com o Ministério Público, COSEMS/MG e Associação Mineira de Municípios.

A presidente da Federassantas, Kátia Rocha, afirmou que o projeto é uma iniciativa para trazer sustentabilidade e equilíbrio econômico-financeiro para as entidades filantrópicas. Com a defasagem da tabela SUS, torna-se impossível manter as contas hospitalares em dia e, segundo a presidente, o modelo de remuneração das instituições deve ser baseado em valores. A vice-presidente da Federação, Rita de Cássia Castro, acrescentou que o projeto visa também mostrar o custo dos serviços e dos procedimentos.

O coordenador do CAO-Saúde, Nélio Dutra Júnior, destacou a importância dos hospitais filantrópicos para a saúde no estado, principalmente para os usuários do Sistema Único de Saúde. O promotor reforçou ainda que além do custo dos trabalhos, é necessário um co-financiamento e uma co-responsabilidade por parte dos municípios, levando em conta o funcionamento do sistema como uma rede e a alta taxa de referência de algumas instituições. Dutra enfatizou também que o apoio aos filantrópicos é prioridade do Ministério Público.

O vice-presidente do COSEMS, Hermógenes Vaneli, elogiou a iniciativa da Federassantas e afirmou que o projeto é “uma ação efetiva que trará resultados e uma solução definitiva para o segmento”. De acordo com ele, o atual déficit do Estado com os municípios (cerca de R$ 4,7 bilhões), tem gerado uma situação de insustentabilidade e prejuízo muito grande aos prestadores, que, segundo ele, têm investido cerca de 25% dos recursos municipais na saúde.

   

Na parte da tarde, outro destaque do evento foi a participação dos representantes da Secretária Estadual de Saúde, Marcílio Dias Magalhães, Subsecretário de Políticas e ações de Saúde e Luiz Marcelo Cabral Tavares, Chefe de Gabinete, no painel “100 dias do novo governo: cenários, desafios e perspectivas para o setor filantrópico de saúde”. Os representantes sinalizaram um déficit no orçamento da pasta no valor de R$ 3 bilhões e afirmaram a dificuldade do órgão em administrar as contas do setor.

HOMENAGENS

O Integra Saúde contou também com a cerimônia de homenagem ao Dr. Carlos Eduardo Ferreira,  e Heli De Oliveira Penido, profissionais de gestão e da medicina que dedicaram anos de suas vidas à melhoria da saúde dos mineiros.

A homenagem foi prestada também aos jornalistas Tábata Feliciano (Globo Minas) e Júnior Moreira (Rádio Itatiaia), que se dedicam a dar visibilidade aos serviços de saúde prestados pelos hospitais filantrópicos de Minas, bem como a luta dessas instituições para sobreviver diante das dificuldades econômicas.

     

 

O especialista em Gestão Estratégica, Planos de Negócio e Governança Corporativa, Emilio Herrero Filho, apresentou a palestra “Filantropia Empreendedora”