Maurício Sérgio é eleito um dos 100 mais influentes da saúde da década

É a segunda vez que o gestor é reconhecido nacionalmente por sua atuação na gestão hospitalar

Eleito como um dos “100 Mais Influentes da Saúde da Década”, Maurício Sérgio Sousa e Silva, superintendente da Santa Casa de Montes Claros, diz se sentir honrado em estar na lista dos ganhadores do Oscar da Saúde. “Fazer parte dessa lista é motivo de muita alegria e satisfação. Isso nos encoraja para continuarmos lutando e trabalhando por um setor que faz a diferença no mundo inteiro.”

O anúncio da eleição foi feito feito em maio deste ano pelo presidente do Grupo Mídia, Edmilson Jr. Caparelli, durante live realizada através da Revista Healthcare Management, referência há mais de 10 anos em publicações sobre tendências, líderes e práticas no setor da saúde.  Em 2019, Maurício Sérgio foi reconhecido na categoria “Gestor de Saúde”, pelo Prêmio 100 Mais Influentes da Saúde. Já em 2018 e 2019, a Santa Casa de Montes Claros também foi eleita pela mesma revista como um dos melhores hospitais filantrópicos do país, refletindo assim o trabalho consolidado e o profissionalismo do superintendente à frente da Santa Casa de Montes Claros. 

Para o superintendente, o reconhecimento só foi possível graças ao trabalho dos colaboradores da Santa Casa. “Eles são os maiores responsáveis por esta premiação. Sou somente o representante dos mais de dois mil funcionários daqui”. Ao relembrar a sua trajetória nos últimos dez anos, Maurício Sérgio destaca a atenção especial aos leitos dedicados para o atendimento SUS da Instituição. “Desenvolvemos um projeto em que reformamos todos os quartos do SUS, tornando-os dignos de um atendimento de qualidade. Realmente, isso foi muito marcante para mim”.

Outro destaque de sua trajetória foi a pandemia do novo coronavírus que trouxe uma série de dificuldades na Santa Casa. “Tudo era muito novo e a saúde já vinha com uma dificuldade tremenda. Foi então que eu convoquei um Comitê de Crise. Isso fez toda a diferença e valeu a pena”. O superintendente ressaltou ainda que todos os desafios enfrentados nesses últimos anos se tornaram pequenos diante da instalação da pandemia iniciada em 2020.

“Entende não somente como o principal desafio, mas como o desafio da década. A pandemia trouxe um aumento desenfreado nos preços dos insumos utilizados, uma queda drástica em nossas receitas, a escassez de produtos, o crescimento nas inadimplências, entre outras situações. Então, o desafio foi usar a criatividade, fazer uma gestão exemplar, com muito profissionalismo, com muita responsabilidade, avaliando, desde o que comprar até onde investir melhor, visto o pouco recurso que tínhamos disponível, sempre com o objetivo de garantir a continuidade do funcionamento da Instituição. Graças a Deus e ao apoio de todo nosso time, a Santa Casa de Montes Claros superou todos os desafios e se manteve funcionando em sua plenitude, atendendo a todos, sendo a principal referência para todo Norte do estado de Minas Gerais, uma das principais referências em Minas Gerais e no Brasil”.

Para a próxima década, o superintendente do maior hospital do Norte de Minas acredita que os líderes do setor da Saúde deverão mudar seu modelo de gestão. “Esses profissionais vão precisar colocar em prática um grande profissionalismo agregado a uma tecnologia que proporcione saúde de qualidade e com segurança”. A entrega do prêmio foi feita na última quinta-feira (01) em São Paulo. Considerado o Oscar da Saúde, a cerimônia foi realizada seguindo todos os protocolos de saúde em virtude da situação de pandemia.

Por: Ana Paula Paixão

Fotos: Divulgação Santa Casa Montes Claros