Projeto vencedor do Prêmio CORE Federassantas propõe redução de superlotação através da ferramenta Lean nas Emergências

Na última semana (05/12) a Federassantas e o grupo CORE – Centro de Oportunidades e Relacionamento de Executivos de Saúde, realizaram a primeira edição do evento Prêmio CORE Federassantas. Sob o tema “Boas práticas em gestão hospitalar”, o evento propôs o reconhecimento e a valorização das boas práticas que contribuem para a melhoria da gestão nas instituições filantrópicas.

Para a presidente da Federassantas, Kátia Rocha, o evento foi uma excelente iniciativa para a valorização dos profissionais que estão na liderança dessas instituições, “uma vez que esses gestores, são gestores por excelência, que fazem o dia a dia das nossas instituições acontecer não obstante as enormes dificuldades com financiamento que vive o setor”.

Durante e programação do evento, dos mais de 60 projetos inscritos, 06 finalistas foram selecionados e tiveram a chance de fazer uma apresentação para a banca julgadora e para os convidados do evento. A grande vencedora do Prêmio foi a Santa Casa de Montes Claros, com o projeto “Redução de superlotação no Pronto Socorro“, no eixo de premiação Qualidade Assistencial / Segurança do Paciente. Para o Superintendente da Santa Casa de Montes Claros, e autor do projeto vencedor, Maurício Sérgio Sousa e Silva, “a satisfação de ser o primeiro ganhador do primeiro Prêmio CORE Federassantas é para a gente de grande importância. (…) É com muita alegria que nós recebemos este prêmio que vem reforçar e nos mostrar que estamos no caminho certo”, afirmou.

O autor do projeto destacou também de que forma o case apresentado contribuiu para a gestão e assistência no hospital; segundo ele, “foi um projeto que trouxe muitos ganhos, melhorou muito a dignidade, a assistência e a saúde dos pacientes que se encontravam em um ambiente de superlotação. Hoje ficamos com os corredores vazios, os pacientes ficam devidamente acomodados, tendo uma melhor assistência, melhorando o stress e diminuindo esse stress por parte dos colaboradores e principalmente dos acompanhantes”, concluiu.

Durante o evento, o presidente do CORE Saúde e Superintendente do Complexo Hospitalar São Francisco, Dr. Helder Yankous, elogiou a organização do pronto-socorro da instituição e parabenizou o hospital vencedor: “Com aplicação do Lean, ela espelha o que pode ser feito pra otimizar e o que nós precisamos na área da saúde, que é otimizar tempo, otimizar dinheiro, e trazer o melhor acolhimento com melhores resultados. (…) Então acho que essa associação de todos esses fatores e a competência da gestão da Santa Casa de Montes Claros resultou no prêmio, que é muito merecido”, concluiu. A presidente da Federassantas também elogiou o projeto vencedor, “o vencedor do prêmio traz um conceito muito interessante que é o de potencializar o atendimento dos nossos hospitais por que, muitas vezes, através de metodologias simples, de organizações sem grandes investimentos, nós conseguimos melhorar a performance da instituição e reduzir a superlotação nas nossas portas de entrada”.

Membro da banca julgadora dos projetos, Helidea de Oliveira Lima também elogiou o projeto vencedor: “Ele tem uma importância muito grande porque o acesso é hoje uma das grandes dificuldades do sistema público. As emergências estão absolutamente lotadas e infelizmente a gente ainda não tem uma política que fortalece a atenção primaria, e isso sobrecarrega as urgências e emergências. A aplicação da ferramenta lean, que é um modelo de melhoria nas organizações, faz com que a gente otimize a capacidade instalada da organização. Então é um projeto que ele é inovador, ele aplica uma ferramenta hoje de melhoria, que é importante, e ele pode ser replicável pra todas as unidades”, declarou.

Segundo a Assessoria de Comunicação do hospital, a Santa Casa de Montes Claros assiste a uma população estimada de 02 milhões de pessoas, de 86 municípios que compõem o Norte de Minas Gerais, Vales do Jequitinhonha e Mucuri, além do Sudoeste da Bahia. “Somente na unidade de urgência/emergência são realizados em média 120 atendimentos por dia, em consequência de ser a principal porta de entrada de atendimento de urgência/emergência da região. Em virtude disso, a realidade de superlotação era constante, uma vez que nossa realidade era de aproximadamente 50 pacientes na unidade que tem capacidade instalada para 20 leitos (…) Então é um projeto fantástico que trará muitos ganhos não só para Montes Claros, mas para toda região do norte de Minas Gerais”, explicou Maurício.


Lean nas Emergências

Maurício Sérgio explica que depois da implementação do Projeto Lean nas Emergências, a quantidade de pacientes na unidade de urgência/emergência caiu consideravelmente. “Temos uma variação de 15 a 30 pacientes diariamente no Pronto Socorro. O projeto começou a ser implementado em novembro de 2018 e começamos a colher os primeiros frutos em abril de 2019. Ainda estamos em fase de implementação, mas os resultados obtidos até agora evidenciam a situação de redução de superlotação no Pronto Socorro”, complementou.

Na Santa Casa de Montes Claros as ações implementadas foram:

– A formação de oito colaboradores do hospital no curso de Gestão Avançada de Serviços de Urgência no Sírio-Libanês, que posteriormente atuaram como multiplicadores para mais de 100 colaboradores do Pronto Socorro.
– O mapeamento dos processos de triagem, das consultas, dos exames e decisões tomadas.
– Implementação das ferramentas de trabalho: DAILY HUDDLE (reuniões rápidas e diárias para definir o fluxo da assistência ao paciente com mais agilidade).
– O Plano de Capacidade Plena (PCP), que tem como foco reduzir a superlotação quando a demanda ultrapassa a capacidade instalada.
– E o desenvolvimento do Painel de Monitoramento on-line, criado pelo setor de Tecnologia da Informação do hospital, que possibilita o monitoramento do Plano de Capacidade Plena em tempo real do Pronto Socorro.

O superintendente conta que um dos principais ganhos obtidos é em relação ao tempo de permanência do paciente. Segundo ele, indicadores apresentados no fim do primeiro ciclo do ‘Projeto Lean nas Emergências’, apontam que o número de transferências internas para leitos regulados da Santa Casa de Montes Claros passou de 193 para 306 após a implementação da metodologia, um aumento de 58%. Entre os resultados do Lean, está a redução dos pacientes de longa permanência nas enfermarias. “Se comparado o mês de abril de 2018, anterior ao projeto, e o mesmo mês em 2019, a redução chega a 50%”, finalizou.

*Informações da Assessoria de Comunicação da Santa Casa de Montes Claros

  

  

Por Raquel Gontijo – Assessoria de Comunicação Federassantas