Federassantas lança Programa de Atualização para Gestores da Saúde 2

A segunda edição do Programa de Atualização para Gestores da Saúde 2 foi lançada nesta quinta-feira (26), pela manhã. O evento on-line foi realizado exclusivamente para gestores de instituições filiadas à Federassantas e contou com a participação de representantes da Federação e da Gesti Soluções. A presidente da Federassantas, Dra. Kátia Rocha, introduziu a temática abordando a relevância de se discutir custos na primeira etapa do programa.

“É impossível imaginar um setor, imaginar a entrega de um serviço em que o contratante é quem impõe valores, que o contratante define por quanto você vai trabalhar. É assim que a gente vem trabalhando nos últimos anos. (…) Não dá mais para conduzirmos o nosso setor, para buscarmos as mudanças que tanto precisamos, se nós, hospitais, não conhecemos, não trabalhamos cotidianamente a nossa gestão de custos. A Federassantas está trabalhando há pelo menos quatro anos nisto, de maneira focada, contando com informações de hospitais de grande porte que tem nos auxiliado, mas agora queremos pulverizar. Queremos que toda a nossa rede consiga trazer informações sobre custos para que realmente a gente consiga trabalhar um Sistema Único de Saúde que não seja financiado por bancos. Um sistema em que nossos hospitais não tenham que manter suas portas abertas deixando de cumprir obrigações com trabalhadores, nem se endividando com fornecedores porque isso não é fazer gestão. O que fazemos é gestão de crise. Gestão em saúde é muito difícil de se fazer e eu conheço a capacidade que nosso setor tem de entrega. Está evidente, com todas as dificuldades, o que vocês gestores são capazes de entregar para a nossa sociedade”, concluiu a presidente reafirmando o compromisso de estar junto dos hospitais nessa missão.

O superintendente da Federassantas, Adelziso Vidal, e o consultor da Gesti Soluções, Luís Santin, apresentaram a proposta do programa para os gestores. O integrante da Regional dos Vales, Leonardo Seixas, reforçou a importância da iniciativa do PROAGS e do apoio das instituições para fomentá-la. “Se não acordarmos, não atinarmos cada dia mais para a profissionalização dos nossos processos de gestão, para a apropriação daquilo que temos dentro das nossas instituições, para a definição da precificação correta, da valoração dos nossos serviços com base no que temos hoje de custos para realização dos mesmos, nós não conseguiremos discutir nunca com os gestores SUS, operadoras de planos de saúde ou mesmo com pacientes que vem com a lógica do empacotamento de plano, pacote de cirurgia, não vamos conseguir definir aquilo que é sustentável para as nossas organizações. É fato que os órgãos de controle, a cada dia que passa, tem nos exigido mais e vemos isso nos processos que vem acontecendo no Brasil inteiro e em Minas também, critérios para definirmos a alocação dos nossos recursos de maneira adequada”, afirmou.

Seixas pontuou que é necessário atentar para a necessidade da gestão interna dos custos para orçamentar os hospitais de maneira mais clara e conseguir avançar em pleitos e discussões que serão cada vez mais frequentes. “Por que cobranças para os hospitais sabemos que tem muitas e só vamos conseguir retorno dessas cobranças se estivermos sincronizados em relação às boas práticas de gestão, em relação às informações que nós todos captamos num balizamento adequado para que possamos sim brigar com propriedade e apropriação daquilo que realmente estamos fazendo”, ponderou.

Ele ainda recordou a primeira edição do PROAGS e o impacto que causou nos participantes, despertando a necessidade e o desejo de poder fazer algo diferente dentro das suas instituições, além de conscientizar também diretorias, provedorias, presidências, a respeito da necessidade urgente da profissionalização dos processos e da importância da participação dos filiados. “Que possamos ver isso, não como dispêndio financeiro – de uma viagem, deslocamento, um almoço ou de uma inscrição. Um investimento de algo que se fossemos buscar especificamente voltado para isso, teríamos que desembolsar realmente para os hospitais um valor bastante considerável. Ou se fossemos trazer uma consultoria para dentro dos hospitais, estaríamos falando em centenas de milhares de reais por ano considerando todos os custos de consultoria e a Federassantas vem trazer mais esta iniciativa para os nossos hospitais de uma maneira muito profissional – falo com conhecimento de causa.

O gestor também reconheceu a eficiência do trabalho da Gesti Soluções. “Somos clientes dela, fizeram dois relatórios, um excelente trabalho diagnóstico conosco, participaram de outros projetos, tem nos ajudado muito, são pessoas muito disponíveis. Acho que é mais um acerto da nossa Federação. Sou um entusiasta destas iniciativas, sempre irei participar e incentivar para que os hospitais venham fazer parte destas ações diretas em prol do crescimento do setor filantrópico do estado de Minas Gerais”, finalizou.

O módulo 1 do PROAGS 2 será realizado em cada uma das Regionais Federassantas, conforme datas previamente marcadas e que já estão disponíveis em nosso site, bem como as inscrições.

Clique aqui para se inscrever e saber mais.